O jornal que todo mundo lê
oi
Publicidade
Educação
12/02/2018 - 14h23
CMAEE adota nova proposta pedagógica em 2018
Foto: ASCOM SMS.

Por ASCOM SMS


Diante do grande número de crianças atendidas e da grande fila de espera para atendimentos, o CMAEE (Centro Municipal de Apoio Educacional Especializado) em 2018 está com uma nova Proposta Pedagógica RTI – Modelo de Proposta à Intervenção, que é desenvolvida com resultados altamente positivos nos Estados Unidos e na Europa. Conforme explica a Diretora do centro, Maria Goreti da Silva. 

“Conhecida como ‘Resposta a Intervenção’ (Response to Intervention), o objetivo da nova proposta é ajudar ainda mais no processo de aquisição e domínio da leitura e da escrita, garantindo maiores chances de sucesso acadêmico e avanço na aprendizagem. O que temos na nossa realidade são crianças com diversos transtornos e dificuldades de aprendizagem que se arrastam por anos, mais que o esperado para aquisição dos requisitos necessários para a leitura e a escrita e para efetiva consolidação desse processo. Sabemos com a contribuição da neurociência que as propriedades da neuroplasticidade são maiores na primeira infância”, afirmou Maria Goreti da Silva. 

Para que os objetivos do RTI sejam alcançados se faz necessário uma formação dos professores e profissionais envolvidos, contemplando instruções de alta qualidade, estratégias curriculares baseadas em evidências científicas e práticas de avaliações constantes dos alunos para o monitoramento dos progressos. 

Foi oferecido à equipe do CMAEE e supervisoras da Secretaria Municipal de Educação uma capacitação pela fonoaudióloga Gabriela Viola Coppe que hoje se integra a equipe. 

Essa proposta também será implantada na “Escola Municipal Walma de Oliveira” para alunos iniciantes dos Primeiros e Segundos anos, para que os escolares dessas séries com baixo rendimento acadêmico recebam a atenção pedagógica inclusiva e especial, por meio de intervenção focada na abordagem RTI. 

O diagnóstico de Transtorno de Aprendizagem não é o principal foco da proposta. Sua maior preocupação é a precocidade tanto na identificação quanto na intervenção de modo a evitar o agravamento futuro dos prejuízos acadêmicos que podem fatalmente ser causados pelos transtornos de aprendizagem. 

Funcionará como “Projeto Piloto”, tendo sucesso implantaremos em mais escolas. Acreditamos que será uma proposta interventiva eficiente, assim sendo conseguiremos atender mais crianças que aguardam por esse momento.

“Recebemos o apoio do Secretário Municipal de Educação Professor Emerson Caixeta e do subsecretário Professor Natanael, que abraçaram a ideia, inclusive nos ajudando com a infraestrutura necessária (aumento de número de salas para atendimento, troca de mobiliários) e principalmente a demonstração da abertura para o diálogo necessário quanto às mudanças implantadas”, finalizou.



Confira Também


Publicidade

no Facebook