O jornal que todo mundo lê
Publicidade
Colunas
20/02/2019 - 11h44
COM A PALAVRA Fábio Mozelli
Confira entrevista com Fábio Mozelli que esteve à frente do PTC por três mandatos


O Com a Palavra desta semana conversou com o ex-presidente do Patrocínio Tênis Clube, Fábio Mozelli, formado em Marketing, que este à frente do clube por três mandatos e fez diversas melhorias na instalação do mesmo.

Em sua passagem, também podemos destacar os diversos campeonatos que atletas da instituição participaram ao ter maior incentivo. Portanto, hoje vamos conhecer um pouco sobre a vida e a trajetória desse grande profissional.


Gazeta – Como você conheceu Patrocínio?

Fábio Mozelli - Nasci em Belo Horizonte, em uma família simples, meu pai era motorista de taxi e minha mãe trabalhava em um salão de beleza. E aí eu fui Officeboy, auxiliar de escrito, aos 17 anos de idade eu engajei na carreira de vendas e comecei a viajar para várias cidades de Minas Gerais e para outros estados. E a primeira cidade que visitei para fazer vendas, foi Patrocínio, eu comecei a gostar muito dessa região, depois viajei por muitos anos e representei diversas empresas, mas eu gostei de Patrocínio e resolvi criar meus filhos aqui.

Então nós viemos de Belo Horizonte em 1997, onde eu comecei representando aqui a empresa de Belo Horizonte chamada Condor e depois conheci o pessoal da Módulo FM, foi onde comecei a trabalhar para a Módulo entre 97 e 98.


Gazeta – E como você conheceu o Patrocínio Tênis Clube?

Fábio Mozelli - Eu sempre gostei de atuar na área de esporte, um período eu fiquei fora de Patrocínio, entre 2003 e 2008, voltei para BH, e depois morei por um tempo na Bahia, pois recebi uma proposta lá. Quando foi em 2008 voltei para Patrocínio atuando pela Módulo novamente e tive o convite do Joaquim lá do Patrocínio Tênis Clube para ajudar na área dos esportes em 2010. Então em 2010 eu comecei a minha história no PTC.


Gazeta – Quando você decidiu concorrer à presidência do clube?

Fábio Mozelli - Em 2012 quando foram montar uma diretoria para a eleição do ano seguinte falaram, “Fábio você poderia ser o presidente”, aí eu pensei “eu já estou ajudando mesmo, então vou me lançar a presidente”. E como eu faço pela paixão, porque lá PTC você é voluntário, a gente não possui salário, então eu coloquei o nome da diretoria como “Paixão pelo PTC”. Aí disputamos a eleição em 2013 e eu fui eleito.

O Patrocínio Tênis Clube tinha uma dívida de quase um milhão de reais, estava passando um momento difícil, então nós negociamos essa dívida, limpamos o nome do clube, negociamos para 180 parcelas, e até hoje já pagamos, seis anos dessa dívida deixada por antigos diretores. Mas também não quero aqui falar mal de ex-diretor, porque cada um teve a sua dificuldade, teve sua contribuição e seu valor.

No entanto, a nossa gestão foi arrumando a casa do PTC. Nós começamos a fazer uma parceria com a Sicoob Coopacredi, para a gente colocar os boletos no banco, e começamos a montar algumas estratégias para a gente construir novas obras.


"Eu fiquei feliz de ter participado, colaborado com o PTC durante três gestões e eu só agradeço mesmo todos os diretores que passou durante essas três gestões que tive, todos os conselhos ficais e deliberativos, e todos associados pela confiança"

Fábio Mozelli


Gazeta – E qual foi a primeira obra que vocês fizeram?

Fábio Mozelli - A primeira delas foi aquela do Ginásio do PTC que estava muito ruim, o piso estava podre. Fizemos um novo piso, moderno. Ele é um piso flexível, com amortecedor, e é comparado à quadra do Chicago dos Estados Unidos, é um dos melhores pisos do Brasil. Tem gente que vem jogar futsal aqui e fica apaixonado, porque é um piso que não machuca e tem amortecedor.


Gazeta – Você pode listar as outras obras que foram desenvolvidas?

Fábio Mozelli - Depois de reformar todo o ginásio do PTC, nós percebemos que o pessoal queria jogar peteca e queria ter um lugar para treinar e disputar campeonato. Então construímos um ginásio com três quadras cobertas só para jogar peteca.

Reformamos a sauna, o campo de grama natural, a piscina grande, porque ela era perigosa tinha uns dois metros e quarenta de profundidade e nós da diretoria ficávamos preocupados, porque os frequentadores estavam aumentando. Então resolvemos diminuir o tamanho da piscina para um metro e quarenta de ponta a ponta, onde aí acabou a preocupação, colocamos novos pisos.

Também reformamos aquela piscina de água quente também, construímos um novo palco, porque queríamos realizar shows. Aí foi construído palco, camarim, começamos a trazer shows como Emílio e Eduardo, cantor Marciano da dupla João Mineiro e Marciano, Geovane da dupla Gean e Geovane, Paulo e Dênio, Grupo Wer Bee Gees, entre outros.


Gazeta – E dessas obras, qual você pode dizer que foi a mais significativa?

Fábio Mozelli - Meu sonho maior seria fazer uma nova sede para o PTC, salão de eventos, para a gente fazer, não só as festas do clube, como também alugar para a gente ter renda para manter a área social.
Fizemos um projeto, foi o maior projeto do PTC nesses últimos trinta anos. Teve o ginásio, mas ele foi feito pelo estado, agora, com verba própria, foi a maior obra do clube. A obra contou com um novo bar e restaurante, salão de eventos no segundo piso e uma nova sala de diretoria e reuniões. Sendo três andares, com mais de mil metros e mudou a cara e o atendimento do PTC. Isso na gestão de 2015.


Gazeta – E depois disso vocês ainda continuaram a fazer mais obras, não é?

Fábio Mozelli – Sim, depois o nosso sonho foi fazer uma piscina com rampa molhada no parque aquático infantil e a brinquedoteca. Onde na gestão de 2017 nós começamos esse projeto e graças a Deus agora já inauguramos o parque aquático infantil, vamos inaugurar a brinquedoteca, acredito que isso vai ajudar muitas crianças, e em breve já vamos inaugurar a rampa molhada que já está num processo bem avançado, porque o principal já foi feito e a próxima diretoria vai estar inaugurando também.


Gazeta – Além das obras vocês também investiram nos esportes, certo?

Fábio Mozelli – Sim, quando eu entrei no PTC, não tinha vinte atletas de futsal, hoje nós temos lá quase duzentos atletas só de futsal. E o futsal foi muito bem representado no ano de 2018, o treinador Fabiano Baleia do Ceará, que contratei, vem fazendo o trabalho há três anos, e no ano que passou conseguimos chegar em sete finais do Campeonato Mineiro, conquistando quatro vice-campeonatos, dois vice-campeonato do interior, um sub 17, um sub 20 e fomos vice-campeões no estadual pelo sub 17, uma conquista histórica para o PTC. Além disso, fomos vice-campeões da Copa Band Triângulo, uma copa que tem a participação de times de vinte e quatro cidades da região.

Ainda falando dos esportes, nós fomos campeões nacionais com a peteca e o nosso ginásio ajudou nos treinamentos da Rafaela Caixeta e fomos até Curitiba com quatro duplas representando a cidade de Patrocínio e o estado de Minas Gerais. Duas duplas foram campeãs, uma vice e uma ficou em terceiro lugar.

Na natação o PTC, desde quando eu entrei fomos crescendo, mas nunca havia ganhado algum título na região, sempre ficava às vezes, em terceiro lugar, ou em segundo lugar e esse ano fomos campeões da Região do Alto Paranaíba e houve muitas medalhas para os atletas e foi campeão em cima do Caiçaras que era o clube tradicional. A nossa equipe foi lá para Conselheiro Lafaiete e conquistou treze medalhas, coisa que nunca tinha feito, porque lá é muito difícil pois tem os principais clubes de Minas Gerais.

No Jiu-Jitsu, nós temos o professor Gilvan, ele é voluntário também e hoje temos cinquenta e uma pessoas treinando jiu-jitsu. Todo campeonato que vai ganha medalha de ouro, medalha de prata e está entre os principais de Minas Gerais.

E no esporte ainda a gente dá apoio à equipe de Rugby de Patrocínio, que também se destaca bastante, foi campeão feminino ano passado, sempre que a gente pode, ajudamos a trazer para cá uma sede no final do ano, com mais de duzentos atletas do Brasil inteiro, por exemplo esse ano foi feito aqui e nós arrumamos também o Olímpio para o pessoal ficar.

Então estamos sempre apoiando os esportes, sem falar dos esportes internos do clube. Onde tem campeonato o ano inteiro, tem campeonato acima de 16 anos, acima de 32, acima de 40 e o cinquentão. Campeonato de palitim, de sinuca. Há também o futsal feminino que nunca havia disputado o Campeonato Mineiro e pela primeira vez conseguimos colocar o PTC participando também.


Gazeta – E como é a sua sensação de ter colaborado com clube durante esses anos?

Fábio Mozelli – Então eu fiquei feliz de ter participado, colaborado com o PTC durante três gestões e eu só agradeço mesmo todos os diretores que passou durante essas três gestões que tive, todos os conselhos ficais e deliberativos, e todos associados pela confiança. Eu espero que a nova gestão possa dar sequência nesses projetos que a gente realizou tanto na estrutura, nos esportes e nos eventos. 

Para fecharmos o ano com chave de ouro, porque enquanto o Brasil está em crise o PTC foi na contramão, durante todos esses anos cresceu, hoje quem assumir, vai estar com um clube mais sadio, para a gente dar sequência, porque agora eu quero é curtir com a minha família, meus filhos e quem sabe no futuro meus netos.

Lembrando também que estou deixando aprovada uma lei de incentivo ao esporte, ela tem o total de 300 mil reais, mas tem uma taxa, onde 10% volta para o governo e 10% vai para a empresa que nos ajudar a fazer a captação dessa verba, já tenho empresa interessada, que quero até deixar encaminhado para que a próxima diretoria de esporte e toda diretoria do PTC possa usar essa verba para ajudar. Ela está sendo aprovada para três categorias de futsal, peteca e a natação. Para dar sequência e se Deus quiser nós vamos fazer essa captação através de uma grande empresa de Patrocínio e que já está encaminhada. Em breve vocês vão saber o nome.


Gazeta – E você pode nos contar um pouco sobre seus projetos e onde você estará atuando agora?

Fábio Mozelli – Eu represento a Rádio Módulo FM no departamento comercial, então eu atendo aqui diversas empresas de Patrocínio, e essa é a minha principal função, e paralelamente eu também represento uma fábrica de Belo Horizonte chamada Condor na área de brindes, então nós temos também mais de mil itens, canetas, chaveiros, agendas, copos, brindes em geral, então essa é a minha função.



Confira Também


Publicidade

no Facebook