O jornal que todo mundo lê
Publicidade
Geral
16/11/2020 - 14h54
Deiró Marra é reeleito prefeito de Patrocínio
Após atraso na divulgação devido problemas técnicos, o TSE liberou os resultados das eleições

Com informações Agência Brasil


Durante esse domingo (15) aproximadamente 52 mil patrocinenses compareceram nas votações municipais de 2020. Após atraso nas divulgações dos resultados devido a problemas técnicos no Tribunal Superior Eleitoral, todos puderam ver os candidatos que foram escolhidos para comandar a cidade pelos próximos quatro anos.

Para prefeito, Deiró Marra, do partido DEM (25), foi reeleito por 61,61% dos votos válidos (29.493 votos). Os demais candidatos, Gustavo Brasileiro, partido PSD (55), conseguiu 36,44% (17.442 votos) e o João Corredor, partido PT (13), conquistou 1,95% (932 votos).

Já as quinze cadeiras da Câmara Municipal serão ocupadas pelos seguintes vereadores com respectivas quantidades de votos recebidas:


Chiquita (PSDB – 45.700) – 2.701 votos

Wellington Mamazão (PTB – 14.789) – 2.373 votos

Thiago Malagoli (DEM – 25.800) – 2.162 votos

Valtinho do Jandaia (DEM – 25.777) – 1.917 votos

Raquel Rezende (PL – 22.123) – 1.852 votos

Adriana de Paula (PTB – 14.123) – 1.785 votos

Professor Alexandre (AVANTE – 70.666) – 1.399 votos

Pastor Alaercio (PODE – 19.789) – 1.238 votos

Leandro Caixeta (DEM – 25.700) – 1.192 votos

Eliane Nunes (DEM – 25.025) – 1.098 votos

Professor Natanael Diniz (PL – 22.100) – 1.025 votos

Ricardo Balila (PODE – 19.123) – 1.011 votos

Odirlei Magalhães (PL – 22.111) – 940 votos

Carlão Amigo Do Povão (PTB – 14.110) – 912 votos

Panxita (PSD – 55.555) – 648 votos

Os dados podem ser conferidos no site dos resultados do TSE.


Atraso nas divulgações das apurações

Segundo o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, os dados dos tribunais regionais eleitorais foram recebidos pelo tribunal, mas ocorreu uma falha no processador de um supercomputador e foi preciso fazer a reparação. Segundo Barroso, o atraso não trouxe prejuízo para o resultado das eleições, porque o problema estava somente na divulgação.

No entanto, o ministro disse que a centralização da totalização (soma) de votos no TSE também pode ter contribuído para a lentidão da divulgação. Nas eleições anteriores, a totalização era realizada pelos tribunais regionais eleitorais.

Durante uma coletiva na qual apresentou um balanço do dia de votação, Barroso informou que cerca de 3,5 mil urnas apresentaram defeito e tiveram que ser substituídas. Não houve votação manual em nenhum município do país. Já Sobre o ataque cibernético que tentou sobrecarregar e derrubar o sistema do TSE realizado na manhã de ontem (15), o ministro reafirmou que o ataque foi neutralizado e não provocou danos. O caso está sob investigação da Polícia Federal (PF).



Confira Também


Publicidade

no Facebook