Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade, recomendar conteúdo de seu interesse e otimizar o conteúdo do site. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Confira nossas Políticas de Privacidade e Termos de Uso, clique aqui.

O jornal que todo mundo lê
Publicidade
Fatos e Fotos
01/07/2021 - 15h33
Distribua amor e solidariedade, doe sangue!

Por Stéfany Christina


Anualmente no dia 14 de junho é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, a data visa sensibilizar a população para a importância da ação e também agradecer aos que já são doadores. Por isso, a redação do Jornal Gazeta de Patrocínio conversou com o Dr. Lucas Campos de Siqueira (CRM-MG 23089-T), médico responsável técnico do Instituto de Patologia e Hematologia Siqueira, Medicina Laboratorial, que tirou algumas dúvidas sobre o processo aqui em Patrocínio.

Antes de tudo é importante informar que o acesso a sangue seguro ainda é um privilégio de poucos, segundo dados do Ministério da Saúde, 42% do sangue coletado mundialmente é de países de alta renda, sendo que estes abrigam somente 16% da população global. O sangue é importante para tratamentos e intervenções urgentes, para auxiliar procedimentos médicos e cirúrgicos complexos, além de ser vital no tratamento de feridos durante emergências de todos os tipos.


"A DOAÇÃO DE SANGUE É UM GESTO DE AMOR E SOLIDARIEDADE SEM PRECEDENTES PARA O SER HUMANO", Lucas Campos de Siqueira.



Por isso, a doação de sangue é um ato necessário, visto que o sangue é insubstituível e só pode ser adquirido através da doação voluntária e que ainda deve ser saudável, o que diminui gradativamente a quantidade de pessoas que realmente podem doar. Segundo o Dr. Lucas Campos de Siqueira, para isso alguns exames são realizados.

“O mais importante é o exame clínico do paciente, onde é feita uma triagem pela enfermagem, a entrevista e o exame do doador, feito pelo médico. Além disso, é feita a dosagem de hemoglobina para ver se o doador não tem anemia e esteja apto para a doação”, informou.

Ademais, há requisitos que devem ser preenchidos pelo doador. Dentre eles estão: estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos; pesar no mínimo 50kg (pessoas com peso menor a este ultrapassa o volume mínimo de doação); estar descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas); e estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas antecedentes).


Restrições

Entre as restrições definitivas, que impedem a doação de sangue, estão: hepatite após os 11 anos; evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II, e Doença de Chagas; uso de drogas ilícitas injetáveis; malária; e Mal de Parkinson.

Já entre as principais restrições temporárias estão:

  • resfriado (aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas);
  • gravidez (90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana);
  • amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
  • ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • tatuagem, maquiagem definitiva e micropigmentação (sobrancelhas, lábios, etc.) nos últimos 12 meses;
  • situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis (aguardar 12 meses);
  • qualquer procedimento endoscópico (por 6 meses);
  • extração dentária ou tratamento de canal (por 7 dias);
  • cirurgia odontológica com anestesia geral (por 4 semanas);
  • acupuntura: se realizada com material descartável (24 horas), se realizada com laser ou sementes: apto, se feita com material sem condições de avaliação (por 12 meses);
  • herpes labial ou genital (apto após desaparecimento total das lesões);
  • herpes Zoster (após 6 meses da cura).


“Nenhuma vacina impede em definitivo a doação de sangue, apenas temporariamente. Os prazos variam de vacina para vacina: das mais comuns que conhecemos temos o intervalo mínimo de 48 horas para a vacina da GRIPE e a CORONAVAC para covid. Para as vacinas de covid ASTRAZENECA/ OXFORD e a da PFIZER o intervalo mínimo é de 7 dias”, completou o Dr. Lucas Siqueira.

Como verificado acima, algumas das restrições temporárias estão relacionadas a coisas realizadas em menos de 24h da doação, por isso, é importante tomar alguns cuidados antes e após o ato.

“Antes da doação o doador não deve fumar por pelo menos duas horas antes e nem fazer refeições muito pesadas por pelo menos três horas antes. Após a doação a pessoa deve ficar mais quieta, evitar dirigir veículos ou operar máquinas e não trabalhar em altura. A legislação permite a falta ao trabalho por um dia, a cada 12 meses, para quem doa sangue”, pontua o médico.


Doar é seguro

Mesmo sendo aptas a doar muitas pessoas tem medo de doar, então para tranquilizá-las informamos que este é um ato seguro e não há nenhum risco de contaminação, o tempo do procedimento todo (cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta do sangue e lanche) é de cerca de 40 minutos, além disso, seu corpo recuperará rápido o que foi doado.

“O organismo leva 24 horas para repor o volume de plasma (que é uma parte do sangue) doado. Para repor a massa de hemácias leva em torno de 4 semanas. Por isso, o intervalo mínimo entre doações é de 8 semanas para os homens e 12 semanas para as mulheres”, afirmou o Dr. Lucas Siqueira.

São 450 ml de sangue que podem salvar até quatro vidas, este volume foi “escolhido” por ser uma quantidade segura para o doador e, porque na bolsa já vem uma quantidade de anticoagulante que só consegue agir neste volume. Uma curiosidade que o Dr. Lucas Siqueira contou foi em relação à armazenagem das bolsas de sangue, informando que é raro ocorrer coagulação do sangue doado, pois há todo um procedimento seguido à risca para armazenar as doações.

“O sangue após a doação é fracionado em alguns hemocomponentes: Concentrado de Hemácias — sendo armazenado entre 2 e 8 graus centígrados; Concentrado de Plaquetas — armazenado à temperatura ambiente, porém em um equipamento que o mantém em movimento contínuo; e o Plasma Fresco Congelado — sendo armazenado a -20 ou -30 graus centígrados. Em teoria poderia coagular, mas isto só acontece por alguma falha na coleta, na manipulação do sangue ou falha do anticoagulante na bolsa, o que é raríssimo”, disse.


Como doar em Patrocínio?

O Dr. Lucas ainda informou que quem quiser doar sangue pode procurar a Agência Transfusional da Santa Casa de Patrocínio e agendar a doação no Hemocentro de Uberlândia, pois de acordo com ele os doadores são levados uma vez por mês para doarem lá e ainda acrescentou que quem quiser também pode doar medula óssea ou plaquetas por aférese podem procurar a agência, pois esse ato também ajudará muitas pessoas.

“A mensagem é de agradecimento aos que doam sangue para as pessoas que precisam. E pedir aos que estejam aptos se candidatem para doar sangue. Por conta do momento que vivemos, os estoques de sangue da Rede Hemominas estão muito baixos, sendo alguns tipos de sangue com estoque crítico (O + e O -). E isso pode significar falta de hemocomponentes para salvar uma vida em algum momento. Precisamos de todos para salvar outros tantos. A DOAÇÃO DE SANGUE É UM GESTO DE AMOR E SOLIDARIEDADE SEM PRECEDENTES PARA O SER HUMANO. MUITO OBRIGADO!”, concluiu.



Publicidade

no Facebook